Como estudar para a OAB XXII?

//Como estudar para a OAB XXII?
Por: | 2017-09-25T14:38:58+00:00 16 de fevereiro de 2017|Dicas|

Como estudar para a OAB XXIINeste post, vamos trazer dicas de como estudar para a OAB XXII. Muitos novatos estão entrando neste universo do Exame de Ordem pela primeira vez, acabaram de encerrar suas atividades na faculdade e só agora vão começar a pensar em um plano de voo para alcançar a tão sonhada carteirinha vermelha.

Outros já estão nesta busca há algum tempo, e esta é apenas mais uma etapa em que pretende aperfeiçoar a preparação.

Veja o curso perfeito para passar na 1ª e 2ª fases da OAB

Então, vamos lá, pois convidamos a coach em OAB, professora Lízia Medina para dar um norte aos nossos queridos estudantes.

Lízia explica que ‘período entre a publicação do edital oab e a prova é muito curto’. “É impossível o candidato buscar fechar o conteúdo.  Isso vale também para aqueles alunos que iniciaram sua preparação com antecedência”, analisa.

Para ela, ‘o conteúdo das 17 disciplinas foi distribuído ao longo de 5 anos da graduação em Direito, então, querer esgotá-lo em poucos meses pode acabar gerando ansiedade e atrapalhar o rendimento dos estudos’.

Veja como se preparar para a 1ª fase do exame de Ordem

 

Treine por questões de provas anteriores da OAB comentadas pelos nossos professores

Marinheiros de 1ª viagem

Para aqueles que estão começando a sua preparação após a publicação do edital, Lízia orienta a dar ênfase naquelas disciplinas que contemplam um maior número de questões na prova. “Por exemplo, Ética Profissional conta com 10 questões e representa 25% dos pontos necessários para a aprovação”.

A especialista explica que o candidato deve realizar provas anteriores do Exame de Ordem Unificado para ter clareza dos pontos que são mais exigidos pela FGV em cada disciplina. “Em Direito Administrativo, por exemplo, alguns temas são recorrentes nas provas, como Organização da Administração Pública e Intervenção do Estado na Propriedade Privada”.

Baixe o edital esquematizado da OAB XXII

Veja mais: Exame OAB – 2017 – XXII Exame de Ordem Unificado

Plano de estudos

Para não se sentir perdido diante de tanto conteúdo, Lízia orienta o candidato a estabelecer um plano de estudos. “Sugiro sempre aos meus alunos separarem 30 minutos de cada domingo para fazer um planejamento semanal, incluindo 2 ou 3 matérias por dia. É improdutivo acordar e não saber o que estudar, priorizar”, direciona.

Segundo Medina, o estudo deve começar pela teoria e sempre incluir a leitura dos dispositivos normativos e a realização de muitas questões. “A maioria das questões da prova da OAB exige o conhecimento da legislação, mas parte do exame aborda a jurisprudência predominante dos Tribunais Superiores.

Por outro lado, Lízia orienta a não abrir mão da leitura das Súmulas Vinculantes do STF, Súmulas e Orientações Jurisprudenciais do TST (OJs), além do estudo de pontos mais relevantes da jurisprudência predominante do Supremo Tribunal Federal e Superior Tribunal de Justiça.

Outro ponto importante do planejamento, de acordo com a professora, é destinar um momento da semana ou do dia, dependendo do tempo disponível de cada um, para a revisão do conteúdo estudado.

Como criar metas de estudos

Administração do tempo

A coach informa para quem deseja saber como estudar para a OAB XXII, que ‘uma das peculiaridades da prova da primeira fase da OAB é a extensão do conteúdo exigido’. ” Saber se organizar e dividir adequadamente o tempo, distribuindo as disciplinas prioritárias, trata-se de um fator fundamental para a aprovação.

Porém, Lízia alerta que não é apenas o conhecimento que está em jogo, mas a habilidade do candidato em saber executar um planejamento estratégico e evoluir ao longo de sua preparação. “Aquele que não é criterioso com a organização do tempo corre o risco de se perder no meio do caminho e acabar despendendo muito tempo com matérias não estratégicas”, previne.

Veja como se preparar para a 2ª fase do Exame de Ordem

Dica extra

“É importante que o candidato desenvolva um estudo ativo durante a sua preparação para assimilar o conteúdo”, afirma Lízia. “Isso significa que o estudo não pode se limitar à leitura dos livros e materiais, mas principalmente evolver a elaboração de esquemas, quadros, resumos objetivos, mapas mentais e, sempre,  a realização de muitas questões da banca FGV”.